Para usufruir de todas as funcionalidades deste site necessita de ter o Javascript activado!

Quadro de indicadores relativo aos Transportes 2016: a UE em ação para reforçar o mercado interno

segunda-feira , 31 Outubro 2016

A Comissão Europeia publicou hoje a edição de 2016 do «Quadro de indicadores relativo aos transportes na UE», uma referência que compara o desempenho dos Estados-Membros no que diz respeito a 30 categorias que abrangem todos os aspetos de transporte.

O objetivo do «Quadro de indicadores» consiste em ajudar os Estados-Membros a identificar domínios que requerem investimentos prioritários e medidas. Mostra como a UE continua a aprofundar o mercado interno no domínio dos transportes e promove a transição para uma mobilidade com baixo nível de emissões, que são duas prioridades da Comissão Juncker.
http://ec.europa.eu/transport/facts-fundings/scoreboard/

A Comissária Europeia dos Transportes, Violeta Bulc, declarou: «O meu objetivo é ter um sistema de transportes de elevada qualidade, descarbonizado, plenamente integrado e eficiente. O quadro de indicadores serve de painel de sinalização neste percurso, apontando o caminho e indicando a distância ainda por cobrir. Trata-se de um instrumento útil para nós, para os Estados-Membros e para as partes interessadas, a fim de identificar os domínios em que fazemos bem e aqueles em que são necessários novos investimentos e medidas. É particularmente encorajador constatar que os esforços da Comissão para colmatar o défice de investimento no setor dos transportes estão a começar a dar frutos.»

Os Países Baixos encontram-se no topo da classificação no Painel, pelo terceiro ano consecutivo, com pontuações elevadas em 15 categorias, seguidos pela Suécia, Alemanha e Áustria. Embora registem diferentes pontos fortes, todos partilham um enquadramento sólido para o investimento, bons níveis de segurança dos transportes e um bom historial de aplicação da legislação da UE.

Principais resultados:

1. Mobilidade com baixo nível de emissões

Verificam-se progressos em toda a UE no sentido de uma mobilidade mais sustentável e respeitadora do ambiente (por exemplo, na percentagem de energias renováveis para os transportes e no número de novos veículos movidos a combustíveis alternativos). No entanto, os níveis continuam a ser reduzidos e o facto de alguns Estados-Membros estarem claramente adiantados mostra o potencial para acelerar a transição com vista a uma mobilidade com baixo nível de emissões. Para o efeito, a Comissão adotou uma Estratégia Europeia de Mobilidade Hipocarbónica, em julho de 2016

2. Infraestruturas

O investimento nas infraestruturas de transportes leva tempo para produzir efeitos. Todavia, alguns efeitos positivos do investimento podem observar-se na perceção da qualidade das infraestruturas de transportes. Tal situação tornar-se-á ainda mais relevante nos próximos anos com investimentos adicionais, nomeadamente através do Mecanismo Interligar a Europa e do Plano de Investimento para a Europa da Comissão

3. Pessoas

  • O grau de satisfação dos consumidores com todos os modos de transporte (urbano, ferroviário e aéreo) aumentou em toda a Europa. Este facto sugere que são compreendidas as necessidades das pessoas e que estão a ser tomadas as decisões de investimento adequadas.
  • O número de mortes nas estradas tem vindo a estagnar. Embora as estradas europeias continuem a ser, de longe, as mais seguras do mundo, os Estados-Membros devem intensificar os esforços para atingir a meta para 2020 de reduzir para metade o número de mortes nas estradas.
  • O número de mulheres empregadas no setor dos transportes está a aumentar, embora a proporção total de mulheres continue a ser baixa. A todos os níveis, são necessárias medidas para aumentar o emprego de mulheres nos transportes, a Comissão está a ponderar a adoção de iniciativas adequadas.

O painel baseia-se em dados procedentes de uma série de fontes (Eurostat, Agência Europeia do Ambiente, Fórum Económico Mundial, etc.). Pode ser consultado por país ou por tema (mercado interno, investimento e infraestruturas, União da Energia e Inovação, Pessoas).

Nos quadros que compõem o painel, os cinco melhores desempenhos estão assinalados a verde e os cinco piores desempenhos a vermelho. O quadro seguinte ilustra a frequência com que cada país figura entre os melhores e piores desempenhos. A classificação geral é calculada subtraindo as classificações negativas das positivas:

 


Para mais informações

Para mais informações por país, ver MEMO.

Fichas multilingues específicas por país

Estratégia Europeia de Mobilidade Hipocarbónica

 

Sétima - Tecnologias da Informação e Comunicação Lda