Para usufruir de todas as funcionalidades deste site necessita de ter o Javascript activado!

Rumo a uma nova política europeia de promoção dos produtos agrícolas e agroalimentares

quinta-feira , 21 Novembro 2013

A Comissão Europeia apresentou hoje um projeto de reforma da política de informação e promoção dos produtos agrícolas e alimentares europeus. Esta nova política de promoção, que beneficiará de um orçamento reforçado e, a prazo, do apoio de uma agência executiva europeia, pretende ser um verdadeiro instrumento de conquista dos mercados. Sob o lema «Enjoy, it's from Europe», a nova política tem como objetivo ajudar os profissionais do setor a penetrarem no mercado internacional e sensibilizar os consumidores para os esforços que têm vindo a ser realizados em matéria de qualidade dos produtos, com base numa verdadeira estratégia definida a nível europeu.

«Num mundo em que os consumidores são cada vez mais sensíveis a questões como a segurança, a qualidade e a sustentabilidade dos métodos de produção alimentar, os agricultores e as pequenas e médias empresas europeias têm aqui uma enorme oportunidade. O setor agrícola e agroalimentar europeu é reconhecido pela qualidade dos seus produtos e o respeito de normas que não têm equivalência no mundo. Com exportações superiores a 110 mil milhões de euros, este setor tem todas as potencialidades para se tornar um fator de dinamização do crescimento e do emprego na União Europeia», afirmou Dacian Cioloş, o Comissário europeu responsável pela Agricultura e o Desenvolvimento Rural.

Esta proposta surge na sequência de um amplo debate iniciado em 2011 em torno de um Livro Verde (IP/11/885), a que se seguiu uma Comunicação (IP/12/332). A proposta será agora transmitida ao Parlamento Europeu e ao Conselho. Os principais elementos propostos pela reforma são os seguintes:

· Aumento significativo das ajudas destinadas às medidas de informação e  promoção, a fim de reforçar a competitividade da agricultura europeia. As ajudas europeias deverão passar gradualmente de 61 milhões de euros (orçamento de 2013) para 200 milhões de euros em 2020;

· Lançamento de uma estratégia europeia de promoção que permitirá direcionar melhor as medidas de promoção. Os resultados esperados são os seguintes:

 

· Aumento do número dos programas destinados a países terceiros e dos programas multinacionais (programas apresentados por entidades de vários Estados-Membros), graças a uma taxa de cofinanciamento mais elevada para estas duas categorias: o cofinanciamento da UE passa a ser de 60 % em vez de 50 %;

· No mercado interno, será colmatado o défice de conhecimento dos consumidores sobre as qualidades dos produtos agrícolas europeus em geral e dos produtos reconhecidos pelos sistemas europeus de qualidade em particular;

· Alargamento do âmbito de aplicação das medidas:

· Possibilidade de menção da origem e das marcas dos produtos de forma enquadrada

· Inclusão das organizações de produtores no grupo de beneficiários;

· Inclusão dos produtos agroalimentares transformados elegíveis para os  sistemas europeus de qualidade, como por exemplo as massas alimentícias, no grupo de produtos elegíveis;

· Simplificação dos procedimentos administrativos através de uma seleção a  efetuar em apenas uma etapa pela Comissão Europeia, em vez de duas etapas como acontece atualmente (Estado-Membro e, em seguida, Comissão Europeia);

· Agilização da gestão dos programas elaborados conjuntamente por entidades de vários Estados-Membros, através de um guichet único na Comissão.

Saiba mais:

http://ec.europa.eu/agriculture/promotion/policy/legislative-proposal/index_en.htm

MEMO/13/1032

Sétima - Tecnologias da Informação e Comunicação Lda