Para usufruir de todas as funcionalidades deste site necessita de ter o Javascript activado!

Relatório confirma a eficácia do Fundo Europeu de Ajustamento à Globalização

terça-feira , 31 Outubro 2017

Hoje, a Comissão publicou o seu relatório sobre o desempenho do Fundo Europeu de Ajustamento à Globalização (FEG) em 2015 e 2016.

O relatório reafirma o papel do Fundo enquanto iniciativa emblemática de solidariedade europeia dentro dos limites do seu estabelecimento e disponibilidades orçamentais, tendo ajudado quase 19 500 trabalhadores a adaptarem-se às mudanças nos padrões do comércio internacional e às consequências da crise económica e financeira nesse período.

Marianne Thyssen, Comissária Europeia do Emprego, Assuntos Sociais, Competências e Mobilidade dos Trabalhadores, declarou: «Os resultados hoje apresentados demonstram o valor acrescentado do Fundo Europeu de Ajustamento à Globalização na ajuda aos trabalhadores despedidos com dificuldades em encontrar um novo emprego. A assistência prestada pelo FEG, no valor de 70 milhões EUR, deu os seus frutos: em 2015 e 2016, 9 072 trabalhadores assistidos encontraram um novo emprego, apesar da difícil situação do mercado de trabalho que enfrentaram. O facto de o Fundo Europeu de Ajustamento à Globalização celebrar este ano o seu décimo aniversário vem comprovar a solidariedade europeia para com os trabalhadores vítimas de despedimentos coletivos motivados pela globalização ou pela crise.»

9 072 trabalhadores, ou quase metade dos trabalhadores que participaram nas medidas do Fundo Europeu de Ajustamento à Globalização, encontraram novos empregos ou passaram a trabalhar por conta própria um ano depois, no final do período de aplicação das medidas. Outras 645 pessoas prosseguiram nesse período estudos ou ações de formação destinados a melhorar as suas perspetivas de emprego. Os Estados-Membros também deram conta de que a situação pessoal, a empregabilidade e da autoconfiança dos trabalhadores em causa, aumentaram consideravelmente graças à assistência e aos serviços do Fundo Europeu de Ajustamento à Globalização. Este foi o caso mesmo para aqueles que não encontraram um novo trabalho imediatamente após o termo das medidas.

Estes resultados positivos são encorajadores, nomeadamente tendo em conta o difícil contexto em que foram alcançados. A situação do mercado de trabalho em alguns Estados-Membros foi particularmente difícil durante o período abrangido pelo relatório. Ocorreram despedimentos coletivos em territórios que já acusavam taxas de desemprego acima da média. Muitos dos trabalhadores apoiados eram pouco qualificados ou tinham outras desvantagens enquanto candidatos a emprego. Isto demonstra, uma vez mais, que o financiamento da UE pode fazer a diferença, como o do Fundo Europeu de Ajustamento à Globalização, em especial para as pessoas mais vulneráveis nas nossas sociedades.

Antecedentes

Uma maior abertura comercial ao resto do mundo traz vantagens para o crescimento e o emprego, mas também comporta custos que se traduzem na perda de postos de trabalho, em especial nos setores vulneráveis e na mão-de-obra pouco qualificada. É por esta razão que a Comissão instituiu um fundo para ajudar essas pessoas a adaptarem-se à mudança dos padrões do comércio, bem como aqueles que foram despedidos devido à crise económica.

O Fundo Europeu de Ajustamento à Globalização financia medidas concretas para ajudar os trabalhadores despedidos a melhorar a sua empregabilidade e encontrar novas oportunidades de emprego. Financia medidas adaptadas às circunstâncias específicas dos trabalhadores em questão, tais como:

  • assistência intensiva e personalizada à procura de emprego
  • vários tipos de formação profissional, atualização de competências e medidas de reconversão
  • incentivos e subsídios temporários durante a vigência das medidas ativas
  • apoio à criação de empresas
  • acompanhamento ao longo de todo o processo

Fundado em 2007, este ano celebra-se o 10.º aniversário do Fundo Europeu de Ajustamento à Globalização. Desde então, o Fundo recebeu 147 candidaturas. Cerca de 600 milhões EUR foram solicitados a fim de auxiliar 137 600 trabalhadores e 2 944 NEET.

Em 2015 e 2016, o Fundo Europeu de Ajustamento à Globalização prestou assistência a 19 500 trabalhadores despedidos e a 1 251 jovens que não trabalham, não estudam nem seguem qualquer formação (NEET). A contribuição da UE ascendeu a mais de 70 milhões EUR e foi completada por outros 48 milhões EUR provenientes de fontes nacionais. 11 Estados-Membros solicitaram assistência do Fundo: Bélgica, Estónia, Finlândia, França, Alemanha, Grécia, Irlanda, Itália, Polónia, Espanha e Suécia.

Para mais informações

Sítio web do FEG

Vídeos de notícias relacionadas:

Europa em ação para combater a crise: revitalização do Fundo Europeu de Ajustamento à Globalização

Fazer face a um mundo globalizado - o Fundo Europeu de Ajustamento à Globalização

Assine e receba gratuitamente por correio eletrónico o boletim informativo da Comissão Europeia sobre Emprego, Assuntos Sociais e Inclusão

 

 

Sétima - Tecnologias da Informação e Comunicação Lda